A ROTA DO VICENTE

A ROTA DO VICENTE

1750€ por pessoa

Convidamo-lo a descobrir a Rota Vicentina, entre as arribas recortadas de uma das mais belas e bem preservadas zonas costeiras da Europa.

Esta grande rota pedestre, no total oferece cerca de 400 km e surpreende-nos pela diversidade de paisagens selvagens. Reúne o melhor das duas costas – a algarvia e a alentejana. Entre serra e o mar, praia e o campo, a Costa Vicentina e o Sudoeste são sinónimos de bem-estar, conforto, deslumbramento na redescoberta dos sabores e tradição de cada recanto.

DETALHES DO TOUR

REGIÕES

SetúbalBejaFaro

PARTIDA

Consoante a localização do cliente.

CHEGADA

Lisboa

HORA DE PARTIDA

Chegue às 9h15 para sairmos às 9h30.

HORA DE CHEGADA

Aproximadamente 20h30.

VESTUÁRIO

Casual. Aconselhamos roupas desportivas confortáveis, ténis para caminhada e casaco leve.

INCLUÍDO

Café da Manhã

Taxas de Embarque

Taxas de Inscrição

NÃO INCLUÍDO

Almoço

Alojamento

IDIOMAS
Português

Inglês

Espanhol

EXPERIÊNCIAS RELACIONADAS

10 Dias
22 Cidades | 2 Pax /mín.+ Age
1
DIA 1 | LISBOA - SINES
Sines foi moldada pelo mar, com um pitoresco centro histórico e porto profundo. O filho mais conhecido de Sines é o navegador Vasco da Gama, cavaleiro da Ordem de Cristo, que entrou na história ao descobrir a rota marítima para a Índia no final do século XV. Para Norte ficam as extensas praias de areia fina até Troia. No Sul predominam as praias de enseada que fazem parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.
2
DIA 2 | MELIDES - VILA NOVA DE SANTO ANDRÉ - SÃO TORPES

Em Melides, conta a história, terá naufragado o navegador português do século XVI, Fernão Mendes Pinto, quando foi atacado por corsários.

Vila Nova de Santo André, uma cidade que nos deslumbra com as suas praias, pouco descobertas, e uma maravilhosa reserva natural com dunas e uma incrível diversidade de fauna.

São Topes tem a praia com a água mais quente em toda a costa. Com um areal bastante extenso, é uma das melhores praias para aprender a surfar. Na hora de retemperar forças, nada melhor do que os deliciosos petiscos do Trinca-Espinhas.
3
DIA 3 | PORTO COVO - VILA NOVA DE MILFONTES - SÃO TEOTÓNIO

Porto Covo, uma vila pequena, com grandes praias à mão de semear, e várias atividades por onde escolher. É um clássico, completado com uma ida a banhos na Ilha do Pessegueiro ou uma pausa gastronómica no melhor restaurante da zona para comer um bom peixe grelhado.

Não se fala do melhor da Costa Alentejana sem mencionar Vila Nova de Milfontes, tanto pela praia ou pelo rio como pela gastronomia. A verdade é que não faltam coisas para fazer nesta vila!

A costa de São Teotónio é fortemente marcada pelas altas arribas de rocha escarpada. As praias apresentam areais de pouca extensão, ocupando os espaços livre entre as falésias.
4
DIA 4 | ODEMIRA - ZAMBUJEIRA DO MAR - ODECEIXE

Odemira distingue-se por nos oferecer um dos rios menos poluídos da Europa, o Rio Mira, assim como algumas das praias mais deslumbrantes e ainda selvagens do país. Extraordinária, a fauna que aí habita, como as cegonhas-brancas que nidificam nas arribas da costa alentejana, algo exclusivo em todo o mundo.

A Zambujeira do Mar caracteriza-se sobretudo pelo seu sossego, típico de uma comum aldeia alentejana. Um dos destinos de verão mais procurado por toda a Costa Vicentina, quebra alguma da sua pacatez durante um dos mais conhecidos festivais de música em Portugal. Debruçada sobre o mar, convida quer a banhos, quer a um passeio pelas suas ruas sinuosas, de simpáticas casas pintadas de um branco único.

Não é por acaso que a praia de Odeceixe ganhou o prémio de uma das 7 maravilhas das praias de Portugal! Surpreende-nos com as suas praias de rio e mar e pela sua beleza natural inigualável.
5
DIA 5 | ALJEZUR - MONTE CLÉRIGO

Limitado pelo mar e pela serra, o concelho de Aljezur reflete, nas suas paisagens, esta dupla influência. Se a orla marítima é marcada pelas altas falésias, areais e dunas quase selvagens, o interior é uma sucessão de horizontes cobertos de vegetação.

Monte Clérigo é uma povoação com o privilégio de ter a praia mesmo a seus pés. É uma zona sobretudo mais procurada pelas famílias, visto ser bastante calma e segura. Os mais aventureiros podem certamente contar com as ondas características desta zona e experimentar umas aulas de surf.

6
DIA 6 | MONCHIQUE - CARRAPATEIRA

Monchique, situada na Serra com o mesmo nome, tão famosa pelas suas águas medicinais, já cobiçadas pelos romanos, conta com uma vegetação rica onde safaris e bonitos passeios pedestres a desvendam no seu fulgor. Aqui podemos encontrar produtos tradicionais da região, como diversos artefactos de madeira e couro, presunto, mel e a afamada aguardente de medronho.

Longe da confusão, a Carrapateira continua a ser um refúgio para quem não gosta de grandes ajuntamentos turísticos. Usufruída por famílias e surfistas, gaba-se das suas dunas e falésias. E com toda a certeza é uma paragem obrigatória nesta viagem.

7
DIA 7 | VILA DO BISPO - CABO DE SÃO VICENTE - SAGRES - LAGOS

A atmosfera mítica de Sagres e do Cabo de São Vicente, durante milénios dedicada aos deuses. A beleza preservada de um litoral de dramáticos horizontes de falésias e de mar. Os testemunhos dos ritos pré-históricos em tantos menires. A evocação da epopeia dos Descobrimentos e da figura enigmática do Infante D. Henrique, o Navegador. Atrativos de Vila do Bispo e do seu concelho, vasto triângulo em que o mar está sempre presente e em que a Natureza se associa à história para lhe dar um carácter único, que vale a pena conhecer.

Em Lagos tudo parece convidar à praia e aos prazeres simples. Mas também há uma história de navegadores e piratas, resultado de uma cumplicidade com o mar que persiste nas traineiras coloridas que trazem o peixe para a lota, ou na Marina onde balouçam iates de todo o Mundo.
8
DIA 8 | LUZ
Luz é uma pequena vila de pescadores que veio a ser um dos 'hotspots' mais populares de famílias na região, mantendo ainda o seu charme algarvio original. Com ruas de calçada bonitas e pitorescas em torno da cidade, o seu foco é a praia de areias douradas sob o olhar das falésias impressionantes. Relaxar numa espreguiçadeira, fazer castelos na areia, desportos aquáticos, andar de gaivota... há muito por onde escolher.
9
DIA 9 | ALVOR
Situada a meio caminho entre Portimão e Lagos encontra-se a bonita estância portuária de Alvor. Dada a sua posição no Algarve, está notavelmente preservada, com a antiga vila mantendo muito do seu charme. Ao contrário de muitos dos 'resorts' ao longo desta costa, foi o grande terremoto de 1755 que causou o maior dano a esta vila, e não o desenvolvimento anárquico que em eras mais recentes adulterou outras zonas do Algarve. É claro que tem havido construção, mas sempre de baixa densidade, permitindo manter a "vila velha" e o tradicional porto, praticamente incólumes. Como resultado, Alvor conserva uma atmosfera mais calma e menos turbulenta do que algumas das cidades-resort da região.
10
DIA 10 | COMPORTA - LISBOA
Em Brejos da Carregueira, escondida para lá dos arrozais entre a Comporta e o Carvalhal, não há caipirinhas ao entardecer, não há gelados da "Olá", nem sequer há nadador-salvador. Há um areal imenso e quase deserto, um mar transparente onde se nada e se vê o fundo, conchas para apanhar, ondas que se aprende a domar... Com toda a certeza, a melhor forma de terminar a nossa viagem.
error: Content is protected!